sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Por vontade própria ou 'forçados', Brasil tem debandada de jogadores argentinos


© Fotos Pratto, do São Paulo, Kannemann, do Grêmio, e Conca


Vinte e dois jogadores argentinos estiveram no futebol brasileiro em 2017, mas o balanço não foi tão positivo para os hermanos. Se nomes como Lucas Pratto, Joel Carli e especialmente Kannemann agradaram, outros tantos decepcionaram. Isso provocou uma debandada.

Sete argentinos, ou seja, um terço, deixaram seus clubes antes mesmo do fim da temporada chegar. Outros sete estão na “marca do pênalti”, podendo sair por fim de contrato, por comum acordo ou negociados na janela de janeiro.

Exemplos? O meia Mancuello já foi oferecido ao Atlético-MG como parte do pagamento pela contratação de Fred. A negociação ainda está em curso, mas, caso não seja concluída dessa forma, ele sairá de qualquer forma. O contrato dele vai até pelo fim de janeiro.

O meia Lucho González não teve escolha. O contrato do jogador de 36 anos com o Atlético-PR termina neste fim de ano e ele já recebeu a informação de que o vínculo não será renovado.

Já o zagueiro Noguera e meia Vecchio não têm perspectiva de prosseguir no Santos, mas, como eles têm contratos longos, só vão sair se chegar alguma proposta que agrade todos os lados. Uma das possibilidades é eles serem emprestados para clubes brasileiros.

Outro que tem futuro indefinido é Lucas Pratto. Apesar de possuir contrato até dezembro de 2020 e ser essencial ao São Paulo na visão da comissão técnica, o atacante interessa ao River Plate.

Pratto colocou a decisão nas mãos da diretoria tricolor. Por enquanto tudo está em aberto.

CONFIRA O STATUS DOS JOGADORES ARGENTINOS:

Atlético-PR
Lucho González: fim de contrato, sem clube a partir de janeiro

Bahia
Allione: emprestado pelo Palmeiras até o fim de 2017, a tendência é voltar ao clube alviverde

Botafogo
Joel Carli: terminou a temporada em alta e tem mais um ano de contrato
Montillo: com seguidas lesões, se aposentou no 1º semestre

Chapecoense
Canteros: está emprestado pelo Flamengo até maio de 2018

Cruzeiro
Lucas Romero: pouco aproveitado, deve continuar no clube e tem contrato até fevereiro de 2021
Ariel Cabral: também jogou pouco e tem contrato até final do ano de 2018
Messidoro: não agradou e, embora esteja emprestado por mais um ano, deve sair
Ábila: saiu durante o Brasileiro e um acordo que possibilitou a vinda de Messidoro

Flamengo
Mancuello: tem contrato até janeiro de 2018 e não será renovado
Conca: contrato encerrado antes do fim e com apenas 27 minutos jogados

Grêmio
Kannemann: terminou ano em alta e já renovou contrato até o final de 2020
Gastón Fernández: em agosto, foi emprestado ao Estudiantes até o fim de 2018

Santos
Noguera: tem contrato até junho de 2021; mas pode sair se chegar proposta ou ser emprestado
Vecchio: tem contrato até o final de 2020; mas pode sair se chegar proposta ou ser emprestado

São Paulo
Buffarini: tem contrato até julho de 2019; mas deve ser negociado com o Boca Juniors
Jonathan Gómez: tem contrato até junho de 2020; mas tem boa chance de sair
Chávez: em agosto, saiu para o Panathinaikos
Lucas Pratto: tem contrato até dezembro de 2020 e o clube quer sua permanência; mas River está interessado

Vasco
Escudero: tem contrato até final do ano de 2018; mas não emplacou e tem chance de sair
Andrés Ríos: tem contrato até junho de 2018 e terminou bem a temporada

Vitória
Pisculichi: em junho, rescindiu o contrato quatro meses após chegar





Serviço:

Outras Informações – Aqui
  Concursos Públicos Aqui
Dicas para Concursos - Aqui

Para mais informações consulte o nosso blog.

SHARE THIS

Autor:

No RD5 maior blog de informações sobre concursos públicos, esportes, entretenimento política, tecnologia e negócios você fica por dentro das principais e últimas notícias do dia, além de assuntos relacionados ao Mundo do Brasil e da Bahia para seu conhecimento diário.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.