segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Novo-diretor da PF diz que buscará combate "incansável" da corrupção



O novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, afirmou nesta segunda-feira que vai buscar o combate “incansável” da corrupção no país, que vai continuar como prioridade em sua gestão à frente da corporação.

“É nesse espírito de equipe, todos unidos, que buscaremos o combate incansável à corrupção no Brasil, o que continuará sendo a agenda prioritária da Polícia Federal, tendo como premissa a continuidade de operações especiais, tais como Lava Jato, Cui Bono (e tantas outras)”, disse Segóvia, durante cerimônia de transmissão de cargo no Ministério da Justiça.

O novo chefe da PF destacou que, “nesse vendaval de dúvidas e de questionamentos” em relação ao futuro da instituição, gostaria de reafirmar a postura de obedecer sempre e estritamente as leis e a Constituição no país, mantendo a hierarquia e a independência no exercício do dever.

Cumprimentando o presidente Michel Temer, presente ao encontro, Segóvia afirmou que aceita com imensa honra e senso de responsabilidade a missão de comandar a PF. Ele disse que atuará no combate ao crime organizado e citou especialmente a Lava Jato, embora não tenha dado detalhes.

O novo diretor ainda prometeu trabalhar para acabar com o que chamou de infeliz disputa institucional entre as atribuições da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.





Serviço:

Outras Informações – Aqui
  Concursos Públicos Aqui
Dicas para Concursos - Aqui

Para mais informações consulte o nosso blog.

SHARE THIS

Autor:

No RD5 maior blog de informações sobre concursos públicos, esportes, entretenimento política, tecnologia e negócios você fica por dentro das principais e últimas notícias do dia, além de assuntos relacionados ao Mundo do Brasil e da Bahia para seu conhecimento diário.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.