domingo, 10 de setembro de 2017

“Zorra” diz que Temer foi comprar deputados na China e debocha de delações premiadas




Michel Temer e o atual cenário político brasileiro voltaram a ser piada no “Zorra”. Neste sábado (9), o programa apresentou esquetes para falar da viagem do presidente do Brasil à China e também das delações premiadas da Operação Lava Jato.

Intitulado “Negócio da China”, o quadro colocou um personagem imitando o substituto de Dilma Rousseff em uma coletiva falando sobre a “rápida, porém muito importante viagem de negócios para o Japão”, que foi corrigida por uma repórter: “É China”.

“Eu me utilizei das minhas habilidade como um exímio negociador para conseguir sempre as condições mais favoráveis. Na área de tecnologia, por exemplo, eu consegui esse iPhone. E na compra do iPhone eu consegui, inteiramente grátis, um carregador. E esse suporte para carro”, disparou Temer, falando sobre as compras pessoais no país. Os jornalistas o questionaram sobre o que ele trouxe para o Brasil.

O presidente, então, apresentou “legítimos deputados chineses, cópia de primeira linha”, que ele comprou no país asiático. “Vocês não sabem o quanto foi barato, mais barato do que eu pago os deputados no Brasil“, afirmou o peemedebista.

Em outro esquete, a atração criou uma paródia da canção “Pra Frente Brasil” para falar sobre a quantidade de delações no país. “Todo mundo em cana, a gente ferrou o Brasil. Haja delação”, dizia o refrão.





Serviço:

Outras Informações – Aqui
  Concursos Públicos Aqui
Dicas para Concursos - Aqui

Para mais informações consulte o nosso blog.

SHARE THIS

Autor:

No RD5 maior blog de informações sobre concursos públicos, esportes, entretenimento política, tecnologia e negócios você fica por dentro das principais e últimas notícias do dia, além de assuntos relacionados ao Mundo do Brasil e da Bahia para seu conhecimento diário.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.